quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Full Metal Jacket - Nascido Para Matar

Filme de Stanley Kubrick satirizando a Guerra do Vietnã (satirizando todas as guerras na verdade, mas tomando uma só como exemplo). É até bem panfletário, daqueles que ninguém mais atura, tipo "a guerra é ruim, blá blá blá", mas o mérito do filme é explorar o funcionamento do soldado na guerra, como exército e como pessoa.
O filme começa mostrando o treinamento dos soldados no Marine Corps, onde há toda a estrutura rígida do exército, exagerada até o tragicômico, e depois passa para a guerra mesmo. Lá, todos acham muito divertido matar os vietnamitas, acreditam que estão lutando pelo país, e nao entendem por que a população local não os apóia, já que estão ajudando a libertar o país.
É muito fácil para os soldados, em grupo, matar inimigos anônimos, mas, em uma das melhores cenas que eu já vi, mostra como a coisa muda quando eles olham nos olhos do inimigo atingido. Nem vou tentar descrever a cena, pra não perder a graça e porque eu não vou conseguir.
Os soldados percebem a inutilidade da guerra e tal, clichês de montão, mas o filme consegue chocar, não com as cenas fortes de guerra, mas com outras mais sutis e emocionais. Recomendo.

_____

Também vi hoje Pretty Woman (Uma Linda Mulher), que eu ainda nunca tinha visto (filmes que só eu não conheço). Legalzinho, e mostra, com a sensibilidade de uma porta, que prostitutas também são gente.

3 comentários:

Bruno disse...

o filme é muito bom, principalmente a seqüência do treinamento.
e se tu pensar que esse, pra época, não tinha clichê nenhum tu vai entender pq ele é mto foda, ele que criou-os.
:P
mto tri.

e uma linda mulher é tri também.

Élvio disse...

prostitutas nao sao gente.

e nascido pra matar é realmente hiper foda, bom, nem tenho palavras, mas ateh comprei o dvd pra ver.

Waick disse...

claro que são gente. eu mesmo sempre discuto nietzsche e filosofia política com as que eu contrato.