terça-feira, 4 de setembro de 2007

Regra de Três

Escrevo o presente texto não apenas como uma homenagem, mas também como forma de defesa e de requisição de justiça a esta que é uma das mais subvalorizadas pedras do conhecimento humano, e, ouso dizer, uma de suas pedras fundamentais.

É impossível enumerar todas as funções e utilidades da Regra de Três, mas, não obstante, a ignorância das pessoas em relação a esses aspectos e funções é magnanimamente assustadora. A Regra de Três é uma das invenções fundamentais para o conforto do ser humano pós-moderno e para a simplificação do trabalho, ao lado da roda, do computador e da empregada doméstica.

Eu mesmo, por exemplo, durante minha educação elementar, utilizei a dita cuja em todas as áreas do conhecimento. Na matemática, na física e na biologia, é lógico, mas não menos em artes, geografia e em educação física, onde as propriedades da Regra são aplicadas muito aquém de suas possibilidades, ou não são aplicadas at all.

Muitas vezes em meu processo de construção do conhecimento acontece de eu ser questionado sobre a resolução de problemas por colegas e amigos, cujos maxilares roçam o assoalho ao descobrirem que a solução mais simples é sempre a Regra de Três. Este, aliás, é o motivo pelo qual eu termino os exercícios em tempo visível e consideravelmente menor do que já aqui citados colegas. Isso ocorria em nível especial e notavelmente acentuado na educação física, onde a Regra de dava uma vantagem tão grande que, enquanto os outros jogavam futebol, eu já estava tranqüilamente sentado na sombra, me dedicando ao ócio. Inequações? Regra de Três. Movimento circular uniforme? Regra de Três. Acentuação gráfica? Regra de três.

Einstein demorou anos para desenvolver sua teoria da relatividade. Ouso dizer que ele poderia tê-la feito em não mais de três semanas, dois dias, quatro horas, trinta e sete minutos e cinqüenta e três segundos (considerando o tempo na velocidade de rotação da terra) caso não houvesse menosprezado a Regra. Não surpreendentemente, o mesmo raciocínio é válido para diversas invenções as mais importantes.

No campo científico-pragmático futuro, posso destacar que a Regra de Três será o principal fator possibilitador da invenção mais fortemente almejada, aquela que inspira loucura, obsessão, insanidade e até mesmo, em casos extremos, o suicídio: o microondas que esfria.

Conforto da modernidade, possibilidades ilimitadas, sonhos e ambições as mais altas e loucas. Todos estes fatores que conferem a humanidade à humanidade (ou vice-versa) são proporcionados pela Regra de Três. Conclamo, portanto, justiça, ó povo brasileiro.

Só pra constar.

2 comentários:

Bianca disse...

husaehueashsaeuhesusaehusae

xD

Guima disse...

ótimo