quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Coisas que eu não suporto

Um blog chamado Reclamando de Tudo não estaria completo sem uma lista das coisas mais detestáveis, desprezíveis e abominadas do mundo. No melhor estilo velho ranzinza, então, as coisas que estragam o meu dia. A maioria das coisas que eu cito abaixo aconteceram HOJE (e olha que ainda não são 5 da tarde), servindo de inspiração para o post. Mas tá:

1. Gente lerda – Sabem quando a pessoa não faz nada sem uma mãozinha? Ou quando a pessoa se preocupa com os menores detalhes de uma tarefa essencialmente inútil? Ou, pior ainda, quando a gente fala, a pessoa não entende e fica olhando com cara de besta! Sério, quando eu fui pro Ceará, as pessoas faziam isso direto – era fazer uma pergunta que o cidadão ficava te olhando como se tu fosse um ET. E ainda as pessoas que não entendem, nem com desenho. Gah!

2. Gente que não tem mp3 – e pede um dos teus fones pra ouvir junto. Qual é a dessa gente? Até mendigo tem mp3 hoje, embora eu deva reconhecer que essa praga já vem dos tempos do walkman e do discman. Eu lembro uma vez que eu tava ouvindo o Sgt. Pepper’s e fui idiota o suficiente pra emprestar um dos fones. O problema é que o Sgt. Pepper’s, como todos deveriam saber, separa os instrumentos por canal, e o fone que eu fiquei só tinha backing vocals.




3. Gente atrasada – Se eu quisesse dizer três e vinte, eu teria dito três e vinte, cacete! A melhor maneira de lidar com gente que sofre de atraso crônico é só sair de casa quando eles ligarem perguntando onde é que tu tá.

4. Gente que não sabe dirigir – Essa eu não sei nem por onde começar. Bom, começo pelo idiota que estava hoje de manhã estacionado no meio fio e, do nada, escancarou a porta no meio da rua. Quase levei junto. E tem o outro também, que estava estacionado na rua e simplesmente entrou na minha faixa quando eu tava a 10 metros de distância a 60 por hora. Sorte que não tinha ninguém na faixa do lado e eu consegui desviar, buzinar com tudo exatamente na janela dele, fazendo ele dar um pulo e começar a prestar atenção justamente a tempo de ver o meu dedo levantado pela janela, e em seguida emparelhando com ele na faixa do lado e mostrando o dedo continuamente por uns 300 metros.

Mas o pior de tudo são as pessoas tentando fazer curva. Eu não sei qual é a dificuldade de dar pisca. Aparentemente, é grande, até porque às vezes eu vejo um idiota dando pisca pra um lado e entrando pro lado errado. Esse é o tipo de engano que pode levar a uma gravidez indesejada.

E o controlador de velocidade, hã? Aqui em Porto Alegre, todos têm 60km/h como limite, e todo mundo passa a 35. Qual é o problema com as pessoas? Os velocímetros, por lei, marcam 8% a mais do que a velocidade real do carro, e o pardal tem tolerância de mais 7%. Só isso já significa que ser multado por um radar fixo é um atestado de babaquice. Daí os idiotas, pra terem certeza, colocam uma margem extra de segurança de 40%.

Outras coisas detestáveis são (sem ordem definida): pessoas que trancam cruzamentos, pessoas que freiam loucamente assim que o sinal fica amarelo, pessoas que não freiam quanto fica vermelho, pessoas que não andam quando fica verde (semáforo, pra alguns, é como se fosse grego), pessoas que estacionam em lugar proibido, pessoas que ultrapassam todo mundo pela faixa de dobrar e depois tentam enfiar o carro, além dos universalmente odiados: moto, ônibus, táxi e lotação. Aliás, prestem atenção: sempre que houver um carro trancando outros 20, se arrastando a 40 por hora em uma rua de pista única, pode ter certeza, é um Uno. É sempre um Uno.




5. Gente que não sabe escrever – porque daí a gente vai ler o texto da pessoa e tá tão mal escrito que a gente até pensaria que é uma passagem de Ulisses, não fosse pela formatação desregulada. Existem dois graus de incompetência literária: o primeiro é o dos semi-disléxicos, que abusam da liberdade poética em textos técnicos e brincam com as regras de gramática, regência e concordância de forma a tornar o texto ininteligível. O segundo grau é, como diria Platão, no mundo das idéias: é quando não só o indivíduo não sabe como escrever, ele também não sabe o que escrever, e a gente consegue até visualizar o raciocínio da pessoa como uma formiga bêbada que vai andando meio de lado, tropeça numa pedrinha, vira bruscamente de direção, e segue em dois caminhos opostos simultaneamente, para depois sumir e aparecer repentinamente em um terceiro ponto: o fundo do poço.





5. Medicina alternativa – quando a medicina chinesa era utilizada na China, a expectativa de vida era de 30 anos, e isso diz tudo.

6. Ônibus – não importa se tu tá de carro, a pé, de patinete ou mesmo dentro do ônibus em questão. Ônibus é horrível de todos os pontos de vista. Demorado, barulhento, grande, lerdo e fedorento – por fora por causa da fumaça e por dentro por causa das pessoas. E daí eu me pergunto, como é que os ônibus podem demorar tanto pra chegar nos lugares se os motoristas estão constantemente passando no sinal vermelho e cortando a frente dos outros?

7. Esoterismo – mentalização positiva. Sério. Sem mais. E aquelas pessoas que vêem um filme tipo Atividade Paranormal e discutemseriamente sobre como o demônio era na verdade um espírito atormentado. Cada vez que eu ouço uma coisa dessas, eu sinto que eu fiquei um pouquinho mais burro.

9. Office em português – porque já é a quinta sexta vez que eu aperto ctrl+B pra botar e tirar negrito e ele salva o documento.

Espero que os demais colaboradores deste blog e os nossos 3 leitores adicionem novos itens à lista. Depois, eu vou concentrar todas estas coisas hediondas na personalidade de um único personagem, e fazer um conto com ele. Vai ser insuportável, eu prometo.




Um comentário:

André disse...

Quanto as pessoas que nao sabem fazer cuva, nao e o simples fato de nao darem pisca que me irrita. o problema mesmo sao aqueles ditos motoristas que nao fazem curvas acima de 10Km/h! parece que vao parar no meio da rua!
outro tipo irritante de motorista e aquele classico que acha que paga dois IPVAs. Fica andando exatamente NO MEIO de duas pistas!