quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

iPad

O que é o que é: se parece com um iphone, faz a mesma coisa que um iphone, mas é maior do que um iphone? Isso mesmo, é um iPhone gigante!

Depois de meses de buzz e boatos sobre o suposto tablet da Apple, ontem o Steve Jobs finalmente lançou o iPad, ignorando que pad também significa absorvente. Ou ele achou que ia ser engraçado, sei lá.

Toda vez que a Apple lança um produto, o Steve Jobs fica lá em cima falando que o iStuff vai mudar a maneira como as pessoas se relacionam com a tecnologia, de tão maravilhoso e inovador que é a tecnologia do iStuff. E os milhões de macmaníacos imbecis engolem tudo. Mas não sem alguma razão: o iPod revolucionou a maneira como as pessoas ouvem música, ainda que não tivesse nenhuma tecnologia nova. Daí veio a iTunes Store e revolucionou a maneira como as pessoas compram música. Não no Brasil, é claro, aqui a gente baixa. Daí veio o iPhone, que também revolucionou o celular, ainda que, de novo, não tivesse nenhuma tecnologia inédita (porque apesar do blablablá, nos anos 90 a minha mãe já tinha um Palm com touchscreen). São produtos fodas e muto bons (tirando a Apple TV, que ninguém sabe ainda pra que que serve), e com um design legal.

Daí chega o iPad, que não traz nenhuma novidade. Nem tecnológica, nem de uso. Sério, entrem no site da Apple: todas as utilidades apresentadas pra ele são iguais às do iPhone. Escreva e-mails. Veja sites. Leia fotos (mas não tire, porque não tem câmera). Veja vídeos. Ouça músicas. Jogue jogos. O dos jogos é o pior, porque o próprio exemplo de jogo é igual aos jogos que já existem pro iPhone. Calendário, notas, e-books, mapas, home screen, é tudo exatamente igual ao iPhone. O desempenho deve ser melhor (é o mínimo…), mas ele não tem nada de inovador. Ele não pode rodar dois aplicativos ao mesmo tempo, e ele não tem aquela canetinha. Me chamem de obsoleto, mas um tablet que se preze tem que ter a canetinha pra fazer anotações na super tela multi-touch.

É óbvio que o iPad não substitui um computador de verdade. Nem um mac. Isso até já dava pra imaginar, porque é um tablet. Mas ele não tem nenhuma função que o iPhone (ou, pior, o iPod touch) não tenha. Eu não consigo imaginar nenhuma utilidade prática pra esse tablet. Sério.

E o pior é que é caro. Quem tem dinheiro pra gastar em um tablet que não é nem um celular e nem um computador, tem dinheiro pra comprar um notebook decente (ou um macbook), pequeno, leve e muito melhor.

Se o iPad tem um ponto positivo, é que, na página do site onde eles dizem que o iPad serve pra ver filmes (não serve), ele tá passando Star Trek, com um still da cara do Spock.

image

4 comentários:

André disse...

tu sabe se tu/alguém vai ta na praia nesse fim de semana?

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Waick disse...

eu vou pra praia segunda e volto terça... mas eu topo qualquer programa melhor do que bater a cabeça na parede de forma sistemática =P

André disse...

bom, a princípio eu voltava pra porto segunda, mas talvez fique mais...
bom, na minha casa agora tem mesa de ping pong, net, e piscina...
já é melhor que bater com a cabeça na parede....