quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Web 6.0

Como, apesar do inigualável jornalismo de quinta categoria, o Terra ainda é a minha página inicial, eu li uma notícia sobre um projeto em que a pessoa poderia apontar uma câmera pra uma pessoa qualquer e acessar seus perfis em redes sociais.

O escritor, provável beneficiário da lei que torna desnecessário o diploma de jornalismo para exercer a profissão, parecia maravilhado com as incríveis possibilidades da nova tecnologia.
Talvez eu esteja ficando velho, mas sou só eu que não vejo vantagem nenhuma nisso? Ou em outras centenas de inovações absolutamente dispensáveis?

image

Eu nem posso falar muito, porque eu tenho várias quinquilharias tecnológicas, orkut, msn, 3 ou 4 contas de e-mail, e, o atestado do idiota digital, twitter. Mas eu acho que em algum ponto essas coisas ficam tão boas que dispensam inovações. Tudo bem, talvez eu quisesse que meu ipod tivesse uma bateria que durasse um pouco mais, mas ninguém precisa, por exemplo, de uma câmera digital que faça cookies.

image

As câmeras digitais, aliás, saíram de moda. Parece que as pessoas perceberam que não existe uma diferença perceptível entre uma foto de 7 ou de 12 megapixels. Ou porque agora os smartphones estejam na moda. Por que o nome, smartphones? Talvez seja pelo contraste com os usuários.

Daí vem a propaganda no novo iphone e diz que ele tira fotos, grava vídeos, edita vídeos e manda por e-mail. Presumindo que as pessoas que compram um iphone tenham uma vida tão interessante que a possibilidade de enviar vídeos instantaneamente sobre eventos cotidianos seja realmente indispensável.

Daí um tempo atrás eu parei pra pensar e percebi que eu tava gastando tempo demais com essas coisas. Eu decidi parar de atualizar o meu celular, ainda que de graça pela tim, e realmente não me fez muita diferença. Eu uso ele para ver a hora, escrever mensagens, jogar worms e falar, nessa ordem mesmo. E eu tô pensando até em deletar meu twitter. Não que eu poste muito, mas eu gasto tempo demais lendo.

image

Uma página inteira escrita aqui e eu ainda não entrei no assunto que eu queria, que é que as pessoas sempre acham que o que é novo é melhor. Quando lançaram as primeiras TVs de tela plana (aquelas de tubo ainda), a imagem não tinha absolutamente nenhuma diferença das TVs convencionais. Aí lançaram as de plasma e LCD, com seus maravilhosos formatos widescreen que esticam a imagem e cuja única vantagem é ocupar menos espaço. Me parece tão estapafúrdio que uma pessoa entre em um financiamento de doze meses pra comprar uma televisão daquelas. Ou qualquer televisão. A TV do meu quarto já deve ter uns 10 anos de uso, e eu nunca tive problemas com a qualidade da imagem. Assim como o DVD. Não vejo moral no Blu-Ray.

image

Nem em um aplicativo que te permita identificar qualquer pessoa a partir de uma câmera de celular. Ou um celular que permita editar vídeos.
De todas as tralhas eletrônicas lá de casa, eu só acho indispensáveis meu notebook e o ipod, até sem televisão eu conseguiria sobreviver. Mas o ponto é que as pessoas perdem cada vez mais tempo com esse monte de parafernália de cinco redes sociais diferentes e coisa e tal, e o ponto também é que há 30 anos atrás as televisões já eram tão boas quanto era necessário, que os celulares em preto e branco com o jogo da cobrinha já atendiam às necessidades, que as câmeras digitais amadoras já são boas o suficiente faz algum tempo, e que mesmo assim as pessoas vão continuar engolindo novos formatos de televisão e megapixels de três dígitos e iphones que fazem cookies, e, pior que isso, vão pagar por tudo isso com um crediário de 30 meses nas Casas Bahia, com a primeira prestação só depois das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

image

4 comentários:

Bianca disse...

espaço é a chave, no fim das contas. fazia muita diferença tu ter um celular tijolão ou um menor (desconsiderando as funções novas) pq sobra mais espaço no/a bolso/a. daí até é bewm útil juntar mil funções em um aparelho só, mas que muita coisa é frescura, como um mol de megapixels, é :P

Bruno Guima disse...

Se tu não usa, não significa que seja inútil né. Acho estúpido comercializar para amadores câmeras com mais de 20MP, mas também acho idiota profissionais usarem só câmeras com 12.
Ah, televisões com tela plana, mesmo com tubo, são muito melhores que as ovais, porque não distorcem a imagem! Isso é básico. Se tu não te importa com distorção, sem problema, mas tens de convir que a imagem fica muito melhor com tela plana. Se tu não te importa com a qualidade de imagem, aluga um vhs e um dvd do mesmo filme, vê e depois diz qual que tu prefere. Evidente que tu vai dizer que o teu predileto é o vhs para encher o meu saco, mas ambos saberemos que é mentira. E essa diferença vhs para dvd é praticamente a mesma que a do dvd pro blu-ray. É óbvio também que se tu vai ver em telas pequenas a diferença vai ser quase nula, mas em tvs grandes a diferença é absurda. Aí entra outro aspecto: o tamanho da tela. Passa vhs no cinema e tu vai ver uma pintura do monet. Não sei tu, mas eu prefiro o cinema com a qualidade de imagem total. E um dia vou ter um cinema em casa, como o Hughes :P

Ahh, e no fundo desse teu post eu vi uma centelha de comunismo, hem. Te cuida.

Bruno Guima disse...

por qualidade de imagem total eu quis dizer tecnologia analógica.

e melhor do que cinema só IMAX!!! :D

Waick disse...

não, eu não prefiro o vhs, ainda que mais pela inconveniência, porque sinceramente eu nem me lembro mais como é ver um filme em vhs.

e eu não digo que eu não perceba a diferença entre uma imagem em dvd e outra em blu-ray, mas não acho que faria um filme ficar melhor. Sei lá.

E comunismo é na tua bunda, fala isso de novo que eu te tiro pontos do teste do outro post =P